Seja bem-vindo(a)

O Filtro dos Sonhos é uma arte do povo nativo americano, o original partiu da tribo Ojibwa e tinha a intenção de ensinar a sabedoria natural pois a natureza é um professor profundo. No caçador de sonhos os galhos e as penas eram tecidas desde os tempos antigos por pessoas de Ojibwa, normalmente pelos avós de crianças recém-nascidas e eram pendurados em cima dos cradleboards (transportador portátil para os bebês com proteção, utilizados pelas culturas indígenas da America do Norte), para dar às crianças calma e sonhos bonitos. Quando um bom sonho chega ao cata sonhos do sonhador, desce através das penas. O menor movimento das penas indica a passagem de mais um bom sonho. Sonhos ruins, no entanto, são confusos. Eles não podem encontrar seu caminho através das penas e ficam presos lá até que o sol nasça e faça com que eles evaporem, como o orvalho da manhã.

filtro dos sonhos

MATERIAIS E CARACTERÍSTICAS

Originalmente, o caçador de sonhos dos nativo americanos era tecido em galhos de salgueiro vermelho com fio do caule da urtiga. O salgueiro vermelho e os galhos de outras árvores da família do salgueiro, podem ser encontrados em muitas partes dos Estados Unidos. Estas folhas são reunidas frescas e secam-se num círculo, dependendo da utilização pretendida. Eles utilizavam penas naturais, pedras semi-preciosas e uma pedra preciosa para cada espaço, porque há apenas um criador na teia da vida.

Para o povo de Ojibwa, um apanhador de sonhos é capaz de filtrar os sonhos deixando apenas os bons sonhos, os pesadelos são apanhados na teia e desaparecem ao amanhecer. Para o povo de Lakhota (da tribo Sioux), o filtro funciona ao contrário: ou seja os pesadelos passam pela rede e os bons sonhos são apanhados na rede e deslizam para as penas para a pessoa dormir sob esses bons sons. Às vezes, há pessoas que dão um significado diferente, preferem atribuir a interpretação da palavra “sonhos”, como um significado de ‘aspirações’ e ‘desejos’.

HISTÓRIA E LENDA

Os dreamcatchers pertencem à cultura Ojibwa e são baseados em uma antiga lenda. Originalmente,  foram feitos à mão, e consistem em um anel circular feito de salgueiro com 9 polegadas de diâmetro e preenchido com uma imitação de uma teia de aranha feita com cordas ou fios (originalmente feito com fibra de urtiga) e uma rede tipicamente vermelha e tingida. Hoje em dia são usados em berços e camas para filtrar os sonhos das crianças. Com o tempo, o apanhador de se espalhar entre outros povos nativos americanos, para alguns como um símbolo de identificação da cultura nativa e outra coisa negativa para se tornar um produto comercial e que rompe com a tradição. Atualmente, são feitas de materiais diferentes e com diferentes formas e vendido em muitas partes do mundo.

caçador de sonhos

Há na tradição da tribo Ojibwe uma história sobre sua origem. A lenda fala de uma mulher chamada Asibikaashi da bonita Turtle Island. Naquele local, a Mulher-Aranha, ou Asibikaashi, olhava pelas pessoas de Ojibwe. Todas as manhãs, ela fazia uma pousada que apanhava o sol para seus filhos. Como o povo Ojibwe foi mudando de local para local, Asibikaashi já não era capaz de olhar por todos, de modo que ela permitiu que as pessoas construissem seus próprios apanhadores de sonhos através do qual ela iria protegê-los de pesadelos. De acordo com a lenda, se você pendurar um apanhador de sonhos sobre sua cama, à noite, os bons sonhos serão filtrados através dos furos, mas os pesadelos vão ficar presos antes de atingirem a sua mente.

Galeria de Fotos

 

 

2 Comments

E você gostou?

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *